Tabaco eletrônico ajuda a parar de fumar?

Pesquisas anteriores colocaram em incerteza a eficácia dos cigarros eletrônicos como substitutos do tabaco. Tabaco eletrônico é um dispositivo eletrônico que liberta um vapor inalável, podendo moderar ou não nicotina. Este aerossol contém muitos aromas e é produzido segundo água, sem esbraseamento. Estão disponíveis no mercado centenas de aparelhos e milhares de aromas. Seu consumo tem aumentado nos últimos anos, nomeadamente entre os adolescentes.

Estudos em ratos confirmaram que a vaporização deve induzir a uma resposta inflamatória nos pulmões. Em junho, Laura Crotty Alexander, da Universidade da Califórnia em San Diego, publicou resultados que mostram que vapor possui uma variedade de efeitos desagradáveis, induzindo a disfunção renal e espessamento e cicatrização do tecido subjuntivo do coração. Os dados sugerem que a vaporização pode estar prejudicando a barreira epitelial que reveste os pulmões, causando ardor.

Há alternativas aos cigarros tradicionais, como cigarro eletrônico e tabaco agasalhado, capazes de reduzir drástica e rápida a epidemia de doenças causadas pelo fumo, e essas soluções devem ser apoiadas. É esta a mensagem que mais de 70 representantes de topo de instituições de saúde pública e luta contra tabagismo almejam passar à Organização Mundial da Saúde (OMS), assinando para tal uma epístola ocasião ao diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, citada pelo Financeiro Times.

Um tabaco sem piche, sem cinzas, sem fumo, nem a maioria das substâncias tóxicas presentes numa réplica convencional: cigarro eletrônico, um vaporizador de nicotina, foi um extenso sucesso este ano, principalmente na Europa e nos Estados Unidos. Seu uso duplicou nos últimos quatro anos, e atualmente são mais ou menos sete milhões de usuários na Europa – segundo cifras divulgadas ultimamente numa conferência mundial sobre tema em Londres.

Para pessoas que fumam cigarros tradicionais os cigarros eletrônicos não possui exposição ao breu ou a maioria dos gases venenosos na fumaça do cigarrilha. No entanto, não está naturalmente se os cigarros eletrônicos realmente contribuem para um número significativo de pessoas que conseguem largar vício no tabaco não obstante subsistir nas redes sociais diversos relatos de usuários deste aparelho que dizem justamente contrário.

O estímulo ao uso do cigarro eletrônico deve, após anos de queda consistente, devido às campanhas anti-tabágicas, provocar um aumento no número de pessoas viciadas em nicotina. A falsa sensação de segurança pode fazer com que número de fumantes volte a crescer.

Há estudos que mostram que ex-fumantes, que tinham parado completamente de fumar cigarros comuns, voltaram a fumar, agora com cigarros eletrônicos.

As pessoas que usam e-cigarrilha até diminuem consumo de cigarros tradicionais, porém um estudo de 2013 mostrou que 77% dos usuários do cigarro eletrônico insistem em fumar cigarros comuns. Em diversos casos, consumo de nicotina não é reduzido e o paciente continua tão viciando quanto antes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *