O roqueiro argentino Pena Alvarez confessa um assassinato: “é ele ou eu’ | Comércio

LEIA TAMBÉM

LEIA TAMBÉM

O músico argentino Cristian ‘Pena’ Álvarez, ex-líder da banda de rock grupos de Idade Louco e Embriagado, confessou ser o autor do assassinato de um vizinho: “eu o matei, foi ele ou a mim,” ele disse à imprensa antes de serem entregues nesta sexta-feira (13 de julho de 2018) para a polícia.

Alvarez teve uma ordem de prisão desde quinta-feira, acusado de homicídio, uma vez que, de acordo com testemunhas, ela fez quatro disparos contra Cristian Diaz, de 36 anos, que morreu. “Sim, era eu que tiro e não venha a declarar, eu venho para dizer-lhe o que aconteceu”, ele admitiu a sair do carro de seu advogado, no meio de uma multidão de jornalistas. Vestido com uma camisa cinza e uma jaqueta de lã coloridos chapéu e óculos de sol azul, quadro branco, a cantora, de 46 anos, foi apresentado na sexta-feira, pouco antes das 07:00 na estação 52 da capital argentina. “Sim, eu o matei porque ele estava entre ele ou eu. Qualquer animal a fazer o mesmo”, disse ele. “Ele era um garoto (menino) que choreaba (roubar). Não foi um tema de drogas. Não éramos amigos”, acrescentou. “Se não, eu ia matá-lo”, ele respondeu, em um improviso conferência de imprensa , às portas da delegacia de polícia. Lúcido e tranquilo, Alvarez disse que, desde o episódio aconteceu no início de quinta-feira de manhã, no pé da torre em que ele vive em um subúrbio de blocos de motor de classe baixa, no sul da capital, foi “na casa de alguns amigos.” “Eu sou perfeito”, disse ele. O músico foi feita após os vizinhos queixaram-se de que ele tinha sido o autor dos disparos que mataram Diaz. O homem assassinado era um ex – vizinho de Alvarez que ela tinha ido visitar a sua filha de 16 anos, que estava ainda vivo na mesma torre, disse a mãe do rapaz. As primeiras investigações da polícia ter indicado que Alvarez fugiram do local e abandonou a arma em um esgoto, de onde ele foi encontrado com cinco núcleos servido, de acordo com um comunicado de imprensa do ministério da Justiça e da Segurança. O autor de temas como eu gosto de você muito e Legalízenla tinha uma causa para a posse de armas “há muito tempo, mas pelo susto que ele não tinha mais armas”, disse seu advogado, Sebastian Quejeiro, horas antes da entrega. O advogado acrescentou que o artista não está em seu melhor momento, “o produto de muitos anos de uso de drogas, mas, recentemente, fez uma música nova e ter uma vida normal.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *