O japão e a China buscar um novo impulso em suas relações bilaterais | Comércio

El ministro de Relaciones Exteriores de China, Wang Yi, da la mano al primer ministro japonés, Shinzo Abe (R), al comienzo de su reunión en la residencia oficial de Abe en Tokio el 16 de abril de 2018. Foto: AFP

LEIA TAMBÉM

LEIA TAMBÉM

O japão e a China retomou na segunda-feira, 16 de abril de 2018, econômico negociações de alto nível com o objetivo de dar um novo impulso a suas relações bilaterais após anos de distanciamento.

A colaboração vem em “uma fase importante do progresso”, assegurou o ministro chinês do ministério dos negócios Estrangeiros, Wang Yi, que no domingo começou um excepcional visita de três dias para Tóquio. “Com esta nova partida, espero que promover o desenvolvimento das nossas duas nações”, disse ele. Ambos os países reafirmaram a importância do quadro unilateralmente para o comércio internacional, no contexto das medidas protecionistas da administração de u.s. o presidente Donald Trump. “Nós compartilhamos a opinião de que a desencadear uma guerra comercial teria um impacto significativo sobre a prosperidade económica do mundo”, disse Kono. O ministro chinês também foi recebido pelo ministro japonês , Shinzo Abe, que pediu para trabalhar em conjunto sobre a situação na Coreia do Norte. “Esperamos desenvolver uma estratégia de e mutuamente benéfica em vários domínios”, disse Abe. A China, a segunda maior economia do mundo, e o Japão, a terceira, tem uma relação complexa, e, desde a Segunda Guerra Mundial são jogados vários territórios. O japão está agora a tentar melhorar as relações com a China, em particular, para não ficar de fora das negociações sobre o programa nuclear da coreia do norte. O governo de Tóquio tem planejado para hospedar uma reunião tripartida entre o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, o primeiro-ministro chinês Li Keqiang, e o presidente da coreia do sul, Moon Jae-in, que provavelmente será realizada em maio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *