Grécia chora seus mortos e continua a lutar contra o fogo | Comércio

Grecia llora sus muertos y continúa luchando contra los incendios

LEIA TAMBÉM

LEIA TAMBÉM

Bombeiros continuou olhando para esta quarta-feira (25 de julho de 2018) para as pessoas trancadas em suas casas ou em veículos carbonizados nas cidades de Mati e Rafina, devastada pelo incêndio que deixou pelo menos 79 mortos.

O novo equilíbrio, anunciado pelo Stavroula Maliri, o chefe de serviço de incêndios, contribui para uma versão anterior que deu-nos conta também de 187 feridos. Os socorristas continuam a pesquisa, especialmente na cidade de Mati e em Kokkino Limanaki, um subúrbio da cidade do porto de Rafina, a cerca de 40 km de Atenas, onde existem centenas de casas e veículos queimados.

Miembros de la Cruz Roja buscan desaparecidos tras el incendio registrado en Mati (Grecia) hoy, 25 de julio de 2018. Foto: EFE

Membros da Cruz Vermelha procurando por desaparecidos após o incêndio registrado em Mati (Grécia) hoje, 25 de julho de 2018. Foto: EFE

O desastre, descrito como uma “tragédia nacional”, começou segunda-feira, quando o fogo foi declarado em uma montanha perto de Pendeli e foi alimentado por ventos de 100 km/h. O saldo da área arrasada até o chão excede a 77 mortas no incêndio de 1977, no Peloponeso (sul da Grécia) e ilha de Euboea (leste). Na terça-feira, a descoberta de 26 de cadáveres carbonizados, incluindo crianças pequenas, em uma casa de Tilly chocou o país. Eles foram encontrados abraçando uns aos outros em grupos, em uma última tentativa para se proteger”, disse ele a um salva-vidas, Vassilis Andriopulos.

Grecia llora sus muertos y continúa luchando contra los incendios

Imagens do incêndio registado em Mati (Grécia) 25 de julho de 2018. Fotos: AFP e EFE

Alguns moradores fugiram em pânico para a praia, a poucos metros de distância, onde muitos deles tiveram que ficar mais de uma hora na água para salvar-se. O fogo continuou recebendo “dezenas de chamadas” de pessoas à procura de seus parentes, disse o porta-voz do fogo. “O problema é o que está escondido sob as cinzas”, disse o vice-presidente de serviços de emergência, Miltiadis Mylonas. Nesta quarta-feira, foram mais de 300 engenheiros para a área do acidente para acelerar o inventário de danos. Destes incêndios possam ser superadas em vítimas que deixou 77 mortos em 2007. Uma mãe é polaco e o seu filho estão entre os mortos, segundo o governo de Varsóvia, como um cidadão , um belga, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros da Bélgica.– Um inferno na praia –“eu Vi as chamas na frente da janela do hotel, eu pensei que eu ia explodir”, explicou Alina Marzin, um turista alemão de 20 anos que a noite de segunda-feira foi no hotel Capo Verde de Mati com seus pais e seu irmão. Seis pessoas foram encontradas mortas no mar, onde fugiram quando o avanço das chamas forçou os moradores a correr para as praias em pânico. Mais de 700 pessoas foram evacuadas por mar ao porto de Rafina. “Tenho medo de que há outras vítimas e pessoas desaparecidas, especialmente os idosos”, disse um membro do conselho de Rafina, Myron Tsagarakis. “Hoje a Grécia está em luto”, disse o primeiro-ministro Alexis Tsipras, anunciou em uma mensagem de televisão, três dias de luto no país. A Presidência da República anulou os actos referidos na terça-feira para comemorar a restauração da democracia na Grécia, em julho de 1974. Em Mati, a violência dos ventos”, causou uma progressão fulminante de fogo no tecido urbano”, explicou o porta-voz do corpo de bombeiros, Stavroula Maliri. Autoridades e voluntários estão trabalhando para ajudar as pessoas afetadas, com a coleta e distribuição de água, alimentos e roupas, enquanto pessoas sem casa foram levados para hotéis. A identificação das vítimas é anunciado por muito tempo nesta área muito frequentada por turistas extrparanjeros. – Auxílio embarque –O país que acionou o mecanismo europeu de proteção civil, está contando com a ajuda, especialmente na mídia ar, Espanha, França, Israel, Bulgária, Turquia, Itália, Macedónia, Portugal e a Croácia, enquanto a receber mensagens de condolências do exterior. “A Comissão Europeia não poupou a si em seus esforços para ajudar a Grécia”, twittou o seu presidente, Jean-Claude Juncker. “A dor da perda afeta a todos nós”, disse por sua parte o chanceler alemã, Angela Merkel. O papa Francisco expressou sua “profunda tristeza”, enquanto o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg manifestou “solidariedade” da Aliança. O governo grego anunciou que irá cobrir o custo do funeral e aprova medidas fiscais em favor das vítimas. A procuradoria-geral do Supremo Tribunal federal abriu uma investigação sobre as causas da perda. O porta-voz do governo, Dimitris Tzanakopulos, disse terça-feira que houve “15 pontos de fogo simultaneamente em três frentes diferentes” na Ática. Os estados unidos emprestou um drone para voar sobre Ática e “observar e detectar qualquer atividade suspeita”, acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *